FAMBRAS e CNA encerram o curso “O Mundo Islâmico 2021” com palestras sobre finanças islâmicas

A Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – FAMBRAS e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) realizaram na manhã de hoje (8), o último módulo do curso on-line “O Mundo Islâmico 2021 – Oportunidades e Desafios para o agronegócio brasileiro em um cenário Pós-Pandemia”.

O Curso tem o apoio da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e da Academia Halal do Brasil.

Para o encerramento, o tema escolhido foi “As Finanças Islâmicas, desafios e oportunidades para agronegócio brasileiro”.

O responsável por levar o assunto aos participantes do curso foi o Dr. Khaled R. El Fakih, Especialista no Sistema Financeiro Tradicional e Islâmico e em jurisprudência islâmica, membro do Conselho Executivo da Sharia nas subsidiárias do Banco Audi e do Group Bank Audi & Arab Finance House.

Foram duas aulas dedicadas às finanças islâmicas e suas características e como elas são utilizadas no agronegócio e nas exportações a nível mundial.

Dr. Khaled explicou que as finanças seguem a Sharia (lei islâmica), garantindo as questões éticas do Islam. “Com a Sharia nós temos a fundamentação ética dessas instituições financeiras, enfatizando o bem-estar econômico e desenvolvimento, incluindo valores de justiça, honestidade e generosidade”, disse.

Ele acrescentou ainda que com a lei islâmica também é possível evitar juros, especulação e o risco excessivo. Para isso, é utilizado o conceito Halal (permitido) e Haram (proibido) no sistema econômico. “A base desse sistema econômico funciona de acordo com esses conceitos, tanto para produção como para consumo”, ressaltou.

“Temos quase 20% de crescimento anual em alguns países. Isso acontece por causa dos princípios que fundamentam as atividades financeiras islâmicas. “

Para o agronegócio, geralmente são utilizados os contratos Salam. Nessa categoria, ocorrem transações que foram originalmente criadas para atender os pequenos produtores. “Nos contratos Salam, nós trabalhamos com uma data futura para o pagamento spot. Essas transações específicas foram pensadas porque os produtores precisavam de um retorno eficiente após vários períodos com relação a investimento inicial”, explicou Dr. Khaled.

Sobre as oportunidades de negócio, ele destacou que a padronização de serviços e produtos garante a uniformidade de uma certa indústria ou setor, além de consistência em relação às normas internacionais.

“Com o desenvolvimento rápido da integração global, os padrões se tornaram técnicas importantes na concorrência e cooperação internacionais”.

Outro ponto destacado também foi a confiança dos consumidores, que permite a organização de mercados estrangeiros, além do desenvolvimento de serviços financeiros e setores relacionados.

Ao final das aulas, os participantes puderam esclarecer suas dúvidas através de uma sessão de perguntas e respostas.

 

Encerramento do curso

O último dia de curso foi mediado pelo vice-presidente da FAMBRAS Halal e diretor geral da Academia Halal do Brasil, Ali Zoghbi, e pela Coordenadora de Inteligência Comercial e Imagem da ‎CNA, Sueme Mori.

O presidente da FAMBRAS, Dr. Mohamed El Zoghbi, agradeceu pela oportunidade e parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA e falou sobre importância do curso para o agronegócio brasileiro.

“Tenho a certeza de que o conhecimento aqui compartilhado – com a ajuda de professores experientes e renomados – é fundamental para abrir novas frentes para os produtores de alimentos do Brasil. São empreendedores competentes e criativos, que reúnem todos os requisitos para levar seus produtos muito além das fronteiras nacionais. ”

Lígia Dutra, diretora de Relações Internacionais da CNA, representando o presidente da Confederação, Dr. João Martins, também agradeceu a todos os envolvidos no desenvolvimento do curso e enalteceu a parceria entre as instituições.

“A gente conseguiu fazer uma parceria de sucesso entre a FAMBRAS, CNA, Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e Academia Halal do Brasil. Conseguimos promover além de oportunidades comerciais também a amizade entre o Brasil e os países islâmicos. Quero parabenizar os docentes e agradecer também a cada um que nos assistiu, espero que tenham aproveitado”, declarou ela, garantindo que em 2022 será realizada mais uma edição do curso.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *