Exportações de carne, na Índia, caem 21% e país teme concorrência com Brasil

A Índia perdeu 21% das exportações de carne bovina em 2018. A baixa deu-se, principalmente, pelo fato de que seu principal mercado, o do Vietnã, teve problemas internos e mante-se fechado por meses. Além disso, diversos contêineres de carne bovina e outros produtos alimentícios da Índia, incluindo suínos e aves, foram retidos nos portos de Hong Kong. Outro mercado importante, o da China, também está dificultado: oficialmente, o país não permite importações de carne bovina indiana temendo que contaminação pelo vírus da febre aftosa e, como a carne enviada para o Vietnã passa pela China, a situação só se complica..

Os exportadores indianos dizem que estão esperançosos de que o problema será resolvido em breve. A Índia enviou uma delegação de alto nível composta por funcionários do Ministério do Comércio e da Autoridade de Desenvolvimento de Exportações de Produtos Alimentícios de Produtos Agrícolas e Processados ​​(APEDA) para o Vietnã no mês passado. O Vietnã reduziu as tarifas de importação de carne bovina para seis outros países depois de concordar com o Acordo Global e Progressivo para Parceria Transpacífica (CPTPP), que entrou em vigor em 30 de dezembro para o Japão, México, Cingapura, Canadá, Nova Zelândia e Austrália.

Neste ano, em que os exportadores indianos serão testados, o Brasil surge como forte concorrente a eles. Com a desvalorização do Real, a carne brasileira torna-se atrativa e mais barata e um contrato assinado recentemente com a China, da ordem de US$ 1,5 bilhão, impactará negativamente nas exportações indianas. Como importante player, o Brasil ameaça a Índia e torna-se preocupante: em 2018, o país aumentou suas exportações para 1,64 milhão de toneladas em 2018, registrando um crescimento de 11% em relação ao ano anterior.

Para ler a notícia completa clique aqui.

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *