Brasil reabre o mercado de carne

Desde o início do mês de abril, o Brasil vem reabrindo a maioria dos mercados que haviam imposto restrições à carne brasileira. O governo da Jamaica foi o primeiro a pôr fim na suspensão de compra da carne. “Logo após a reabertura da Jamaica, Barbados fez o mesmo”, afirmou o ministro da Agricultura, Blairo Maggi.

Mesmo com a operação Carne Fraca, a balança comercial teve superávit de US$ 7,1 bilhões, recorde para o mês de março. “Os resultados positivos mostram a força da indústria brasileira e seu potencial como exportadora”, disse o presidente da Abiec – Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes – Antonio Jorge Camardelli, em nota.

O Egito, que sempre fica nas primeiras posições entre os importadores de carne brasileira, chegou a ficar na 9ª colocação após as investigações da Polícia Federal. Mas logo depois anunciou a reabertura do mercado, demonstrando confiança na carne brasileira, tal como a Arábia Saudita que aumentou suas importações no mês de março, comparado ao ano passado. O país havia proibido a compra de apenas alguns frigoríficos investigados e a Autoridade Saudita de Alimentos e Drogas (SFDA, na sigla em inglês) esteve no Brasil para visitas técnicas.

Durante essas visitas de inspeção, tiveram uma impressão positiva e a garantia de que a carne brasileira tem qualidade, principalmente a carne Halal, que segue todos os requisitos rigorosos, não só religiosos, mas também de higiene, tranquilizando os consumidores muçulmanos e não muçulmanos.

A Câmara de Comércio Árabe Brasileira realizou viagens para tratar das exportações. Com representantes da FAMBRAS, da Abiec, da Associação Brasileira de Proteína Animal (Abpa) e de órgãos governamentais, essas viagens aconteceram nos dois últimos finais de semana de abril, com o intuito de apresentar planos de ações para fortalecer a imagem da carne brasileira.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *